Retomada

Primeiro era a falta de tempo. Agora é tanto tempo que me afogo. Mas nenhuma dessas justificativas são suficientes. A verdade é que a sua pequena existência ainda é difícil de ser compreendida. E nessa confusão que sou e vivo, não parei mais para escrever.
É um turbilhão. É a espera do começo com um tanto de sono. A memória que falha e esquece a palavra seguinte e a anterior. O que acabamos de falar mesmo?
É um corpo que se forma e cresce dentro do meu. Por mais que se ouça falar por aí, o milagre da vida tornou-se real quando te vi com a mãozinha apoiada na cabeça. Pernas cruzadas, pés com dedinhos, uma pessoa em miniatura.
Foi planejado dentro de tudo que é possível. O exame de sangue, os hormônios, a taxa de açúcar. Todo o restante é a mais absoluta falta de controle. Que eu, apegada a previsibilidade e planejamento, estou aprendendo que o improviso também faz parte da vida.
Nesses primeiros passos, descobri uma busca pelo oposto do que estava habituada. Quero pesquisar menos, ler menos, ouvir menos relatos mundo afora. Limpando os excessos e buscando o que é essencial. Sinto um cansaço sobrenatural e nada tem tido mais a minha atenção do que uma cama.
O meu desejo para hoje é me conectar a você. Certa de que, juntos, tudo vai sair como deve.
Confio em nós, filho. <3

Em tempo: Feliz ano pra todos! Que seja um ciclo de aprendizado, novos caminhos e bons encontros.